segunda-feira, 29 de maio de 2017

UM PROGRMA QUASE SEM UTILIDADE GANHOU GRAÇA NA MÃO DE UM QUADRINISTA SAIBA MAIS LENDO A MATERIA

 O Paint é, sem dúvida, o mais execrado dos editores de imagem. Na ativa desde 1981 (sim, há mais de 35 anos), o aplicativo nativo do Windows ganhou alguns retoques durante os últimos anos, mas nunca apresentou nada que o tornasse realmente capaz de ser levado a sério. Isso pode parecer uma verdade irrefutável, mas há quem discorde — e um sujeito dos Estados Unidos que criou uma história em quadrinhos artística no programa é uma dessas pessoas.
Pat Hines foi mais um que demostrou todo o potencial do MS Paint. Ele é o autor do romance gráfico Camp Redblood and the Essential Revenge, obra feita integralmente no programa da Microsoft e sem a ajuda de qualquer outra ferramenta poderosa como Photoshop ou Illustrator.
Pat Hines esbanja talento ao criar uma HQ inteira no Paint.
A obra trata de uma desavença entre membros de dois acampamentos de férias, uma “aventura de verão para qualquer um que já teve um desafio impossível de superar”, segundo o próprio autor. Independentemente dos apelos literários, porém, o grande feio aqui está na realização gráfica de Hines, que consegue criar belíssimos desenhos, repletos de cores e detalhes como sombras e tonalidades de azul do céu.
O resultado incrível de Camp Redblood and the Essential Revenge pode ser conferido em um e-book à venda na Amazon ou então em seu perfil do DeviantArt.

Nenhum comentário:

Postar um comentário