sábado, 11 de fevereiro de 2017

CONHEÇA A BRASILEIRA PROTAGONISTA DE MOANA DA DISNEY ELA É MINIRINHA

 (Foto: Divulgação)
Amineira Natalia Freitas considera Moana, a protagonista do filme de mesmo nome da Disney, uma espécie de amiga. Ela não é a única: a história da menina que decide ir em busca dos segredos que podem salvar seu povoado conquistou milhares de pessoas, arrecadando mais de US$ 533 milhões de dólares nas bilheterias ao redor do mundo.
Freitas, no entanto, viu a personagem "crescer". Formada em animação clássica pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, ela participou da equipe de desenvolvimento visual (look development) de Moana: Um Mar de Aventuras nos estúdios de animação da Walt Disney na Califórnia, nos Estados Unidos, durante 2016.
A paixão pela arte surgiu ainda na infância. Após perder os pais aos 10 anos, Freitas encontrou na ilustração e no desenvolvimento de novas narrativas uma forma de lidar com a dor. "Com o passar dos anos, percebi que aquilo era muito mais do que um hobby", disse a artista em entrevista à GALILEU durante a 10ª Campus Party Brasil, em São Paulo. "A animação foi um entretenimento tão importante para mim que queria despertar isso nos outros.
Inspirada por filmes como A Bela AdormecidaMary Poppins O Rei Leão, ela estudou animação 2D. Em 2012, foi selecionada para um programa de pós-graduação na Filmakademie Baden-Württemberg, na Alemanha, onde se especializou em animação 3D. Ao longo dos anos, a artista utilizou suas habilidades para animar e dirigir seus próprios curta-metragens — entre eles Electrofly, no qual mistura animações 2D e 3D em um cenário real.
Em 2016, Freitas foi selecionada para participar da produção de um novo projeto da Disney: MoanaUm Mar de Aventuras. "Foi muito bacana ver a personagem surgindo. Diariamente uma cena era finalizava, então fui criando um amor pelos personagens conforme os vi crescendo", conta.
Com os diretores de 'Moana', Ron Clements e John Musker, e outros artistas brasileiros (Foto: Reprodução/Twitter)
O departamento de desenvolvimento visual, no qual Freitas trabalhou, foi responsável pela criação e escolha das cores, texturas e materiais do filme. A artista dá um exemplo do trabalho na prática: "Se temos um pedaço de tronco na cena, não simplesmente o pintamos ou aplicamos nele a textura de madeira, temos que colocar detalhes, ranhuras. É bem artístico". Além disso, a equipe em questão mexe nas sombras e na iluminação do filme, definindo o aspecto visual dos personagens e cenários.
Ver o resultado final foi emocionante para Freitas, e a experiência em Moana: Um Mar de Aventuras, despertou nela uma vontade de trabalhar em mais longas-metragens. Tanto que seu próximo projeto será um filme do tipo — ela não revela qual, "só que é em um estúdio na América do Norte". Já podemos até imaginar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário