quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

NOVELAS TURCAS FAZEM AUMENTAR O DIVORCIO

Muhannad e Noor seguiram todas as tradições islâmicas na cerimônia de casamento, arranjado pelo avô do noivo. Teve leitura do Alcorão, sermão e festa. Mas Muhannad era um homem diferente para os padrões tradicionais do Oriente Médio. O jovem não se casou virgem — já tinha engravidado uma mulher antes de se comprometer com Noor. Além disso, depois do casório, Muhannad encheu a esposa de carinho e respeito e a incentivou a seguir carreira de designer de moda.
As cenas de amor de Muhannad e Noor, dois personagens de uma novela turca, chegaram às telas de 85 milhões de muçulmanos em 2008. Sírios, iraquianos, jordanianos e libaneses se renderam à história, e mais produções semelhantes não param de chegar aos países do Oriente Médio.
Agora, essas novelas estão causando um alvoroço na família tradicional muçulmana. O respeito e o amor dos casais da ficção mostram uma novidade às mulheres: relacionamentos igualitários são possíveis e divórcios, bem-aceitos. Encorajadas, elas começaram a exigir mais respeito dos maridos — e a optar pela separação. Enciumados, eles também preferem colocar um fim no casamento. Um site sírio contou a história de quatro casais que se separaram no embalo de amor de Noor e Muhannad. Na Jordânia, um portal local noticiou a ira do marido ao flagrar uma foto do galã Muhannad no celular da esposa — o amor acabou ali. Para se ter noção, o número de divórcios no Iraque quase dobrou nos últimos dez anos.
Mas a motivação não vem só das telas de televisão. Em contraponto às ideias libertadoras das novelas, as leis impostas por grupos islâmicos radicais têm ficado cada vez mais rígidas. Sexo antes do casamento pode render punições pesadas. Daí, o único jeito de transar é casando. E é o que os muçulmanos têm feito. Só que a lei deixa uma brecha: recém-casados podem facilmente se separar. Alguns casais, então, se unem em busca apenas de sexo. E, depois de algumas noitadas, pedem o divórcio.
Além de tudo isso, no entanto, os conflitos na região deixam cada vez mais pessoas na miséria — sem ter como bancar a família, os maridos abandonam suas casas. Um motivo bem menos romântico e libertador do que as emocionantes cenas de amor das novelas turcas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário