sexta-feira, 26 de agosto de 2016

COMO SERÁ A MINISSÉRIE DA HISTÓRIA DA TV PRODUZIDA PELA GLOBO



Saulo (Murilo Benício) e Veronica (Debora Falabella) (Foto: Globo/Estevam Avellar)
Saulo (Murilo Benício) e Veronica (Debora Falabella) em “Nada Será Como Antes”
(Foto: Globo/Estevam Avellar)
A Globo vai usar um drama romântico para contar a história da TV em sua nova minissérie, “Nada Será Como Antes”.O romance será vivido por Verônica Maia (Débora Falabella), locutora de uma rádio local, e Saulo (Murilo Benício). Na história, o talentoso vendedor de aparelhos radiofônicos promete tirar a amada da anonimidade e, ao levá-la para o Rio de Janeiro, a transforma na estrela dos comerciais da Rádio Copacabana. Mas ainda não é o bastante: Saulo acredita que chegou a hora da televisão ocupar o lugar do rádio e, para isso, procura Pompeu Azevedo Gomes (Osmar Prado) para financiar a abertura da primeira emissora de televisão brasileira, a TV Guanabara.
Em um cenário totalmente novo e incerto, Saulo não pode falhar. Ele precisa cativar o público e seu patrocinador, que se mostra incrédulo. Anna Karenina, um clássico romance russo, se revela como a grande ideia para uma primeira novela produzida pela TV Guanabara. Ao lado de Rodolfo (Alejandro Claveaux), que interpreta Conde Vronsky, Verônica Maia vira alvo dos holofotes ao viver a personagem que dá título à obra.
“Nada Será como Antes” é uma série de Guel Arraes e Jorge Furtado, com redação de Guel Arraes, Jorge Furtado e João Falcão, e direção artística de José Luiz Villamarim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário