quarta-feira, 18 de maio de 2016

DOSSIÊ CLUBE DOS HERÓIS DISNEY

Clube dos Herois

Eles são mais engraçados do que heroicos, com raras exceções. Atrapalhados ao extremo, costumam salvar a cidade graças a muita sorte, a alguma ajuda inesperada ou até mesmo porque os vilões que enfrentam não costumam ser grande coisa.
Mas é quando se juntam que os super-heróis Disney garantem ainda mais confusão. Pior para os malfeitores, que não escapam das ações estabanadas dessas figuras fantasiadas; ótimo para os leitores, que ganham bons momentos de diversão.
Confira como tudo começou e relembre alguns crossovers que marcaram época em Patópolis (e até no Brasil).
Clube dos Heróis
O primeiro grupo de super-heróis patopolenses iniciou suas atividade há 30 anos, em fevereiro de 1986, na HQ O Clube dos Heróis, criada no Brasil por Gérson L. B. Teixeira (roteiro) e Roberto O. Fukue (desenhos).
Superpato (Donald), Superpata (Margarida), Superpateta (Pateta), Supergilberto (Gilberto), Borboleta Púrpura (Glória), Morcego Vermelho (Peninha) e Vespa Vermelha se uniram para enfrentar uma grande – enorme! – ameaça: uma monstrenga que estava destruindo a cidade.
A equipe Clube dos Heróis passou a frequentar as páginas dos gibis Disney com assiduidade e estrelou outras edições especiais, sempre em tramas cujo humor eram a tônica e o super-heroísmo era apenas um detalhe casual.
Fez sucesso não apenas no Brasil e chegou a outros países, incluindo a Itália, que criou uma versão alternativa da equipe de heróis de Patópolis.
Em 1979, no gibi Tio Patinhas # 166, os leitores tiveram um vislumbre de como seria uma superequipe de heróis Disney, quando Morcego Vermelho, Vespa Vermelha, Superpateta e Superpato se unem para enfrentar o Superomão, cuja mente havia sido dominada pelo Dr. Estigma.
Ultra-Heróis
Ultra-Heróis
Em 2008, a Disney Itália repaginou o Clube dos Heróis, padronizando os uniformes à la X-Men, adicionando outros personagens cujas identidades civis nunca antes haviam experimentado o super-heroísmo e enfatizando mais a ação do que o humor.
Formado por Superpateta, Morcego Vermelho, Superpato, Superpata, Quatro-Folhas (Gastão), Ganso de Aço (Gansolino), Esquálidus e Mickey (sem traje ou identidade heroica), a superequipe tem como inimigo o grupo Bad-7, liderado pelo Professor Gavião e composto ainda por Mancha Negra, João Bafo-de-Onça, Patacôncio e Irmãos Metralha.
Morcego Verde x Morcego Vermelho
Foram poucos encontros. O primeiro deles aconteceu em 1986, em Zé Carioca # 1778, na HQ Muito morcego pra pouco mistério (roteiro de Arthur Faria Jr. E desenhos de Roberto O. Fukue), pela sérieZé em Patópolis. Na trama, os dois heróis tentam encontrar um carro roubado do Tio Patinhas.
No entanto, o crossover que mais deu o que falar entre os fãs dos dois personagens ocorreu em 2013, no gibi Zé Carioca # 2385, cuja capa desenhada por Fábio Figueiredo já se tornou icônica. Os morcegos se encontraram no Rio de Janeiro para resolver de uma vez por todas quem é o melhor. Foram vários testes e nenhum problema resolvido, só criado.
Eles voltaram a se encontrar no mesmo ano, em Zé Carioca # 2389, dessa vez unidos contra o vilão Beinhe (paródia de Baine, da DC Comics).
Ambas criações de Ivan Saidenberg (com a participação de Renato Canini na concepção do herói carioca), Morcego Vermelho e Morcego Verde estrearam respectivamente em 1973 e 1975.
Em 1994, o Morcego Verde sofreu uma reformulação visual e conceitual. Perdeu a camisa cor laranja, a capa verde e os hilários óculos e gorro e ganhou um manto no melhor estilo do Batman, além de uma nova origem.
Morcego Verde x Morcego Vermelho
Morcego Verde x Superpateta
Na HQ O Cavaleiro das Dívidas (Zé Carioca # 2010Editora Abril), a nova origem do Morcego Verde mostrava uma clara influência “daquele” morcego da DC Comics, parodiando até mesmo a famosa cena do beco em que o garoto Bruce Wayne presencia o assassinato dos pais.
Hoje cultuada entre os leitores Disney, a aventura escrita por Marcelo Cassaro e Paulo Borges prima pelos ângulos visuais arrojados e muito humor, com pitadas de drama (ou algo parecido com isso).
É nessa história que o novo Morcego Verde encontra o Superpateta. O campeão de Patópolis vai ao Rio de Janeiro para frear a fúria vingativa do papagaio, que estava tocando o terror numa perseguição violenta aos cobradores da Cidade Maravilhosa.
E assim como Superman não conseguiu segurar Batman em O Cavaleiro das Trevas, Superpateta não obteve sucesso contra o Morcego Verde, apesar da ausência de superpoderes deste.
O primeiro encontro entre eles data de 1987, na aventura Enfim…argh… juntos!, publicada em Edição Extra # 173 – Clube dos Heróis. Nessa divertida história, que se passa no Rio de Janeiro, o energúmeno Superpateta acaba acreditando que o Morcego Verde tem superpoderes e ainda participa inadvertidamente de um golpe do papagaio malandro em um restaurante.
Morcego Verde x Superpateta
Superpato x Cartola Mascarado
Um inusitado crossover entre tio e sobrinho em suas identidades heroicas.
Criado na Itália em 1987, por Massimo Marconi e Massimo de Vita, o Cartola Mascarado é ninguém menos que o Tio Patinhas fazendo as vezes de combatente do crime (os cometidos contra ele, vale registrar).
Protagonizou poucas histórias, mas na primeira delas, O misterioso Cartola Mascarado – publicada no Brasil em Tio Patinhas # 278, de julho de 1988 -, já contracenou com o Superpato, numa trama em que ele decide proteger um carregamento de dinheiro depois da recusa do outro herói e da Superpata em lhe servir de segurança. Os Metralhas surgiram em cena e não foram páreo para o velho muquirana.
O Cartola Mascarado também se revelou o nome por trás da formação dos Ultra-Heróis.
Patópolis está mesmo bem servida de super-heróis.
Marcus Ramone gostaria ainda de citar o crossover entre Morcego Verde e Capitão Porreta (alter ego do Pedrão), o mais brasileiro dos confrontos entre super-heróis Disney.
Superpato x Cartola Mascarado
• 

Nenhum comentário:

Postar um comentário