sexta-feira, 25 de março de 2016

FILMES DE GIBIS IMPRÓPRIOS AS CRIAÇAS

Ao pensar em produções que surgiram a partir de histórias em quadrinhos, a primeira coisa que a gente pensa é: tem super-herói - ou superpoderes, como é o caso doDeadpool - no meio disso. Mas isso é um tremendo engano! Dos longa metragens baseados em graphic novels que existem, vários saíram de obras administradas por editoras pequenas, que preferem cuidar de universos nada "super-alguma coisa".
Alguns desses enredos fortes e polêmicos passam por Hollywood, mas sem alardear que a história original pode ser encontrada em uma coleção de HQs. Curiosamente, boa parte desse tipo de produção tem um fator comum: a classificação para maiores de 16 e 18 anos no Brasil. Sabemos que não são apenas cenas fortes que fazem um bom filme mas, nesse caso, parece que a regra inclui esse detalhe. Por isso, decidimos fazer uma lista com 15 exemplos memoráveis. Pode ser útil para testar quais deles você já sabia que se originaram dos quadrinhos ou também para descobrir quais ainda não viu e colocar na lista de filmes que precisam ser assistidos longe do irmãozinho mais novo.

Azul É A Cor Mais Quente

O casal Clementine e Emma.
Polêmico por mostrar a relação amorosa e sexual de duas adolescentes, esse título faz parte dos que pouca gente sabe que tem origem nos quadrinhos. É de autoria da francesa Julie Maroh e tem foco em mostrar o amadurecimento das personagens conforme o namoro evolui.

30 Dias de Noite

Obra de terror escrita por Steve Niles e ilustrada por Ben Templesmith.
Um local isolado no Alasca, onde o clima obscuro se materializa de maneira bem literal. Existem épocas do anos em que muitos dias se passam em completa escuridão, sem o toque da luz solar no horizonte. Esse vira o cenário perfeito para um grupo de vampiros - criaturas naturalmente noturnas - ansiosos para se alimentar do sangue dos habitantes locais.

Sin City

Filme e HQ seguem estilo artístico preto e branco, com cores em pontos específicos.
Um conjunto de histórias policiais criadas por Frank Miller, retratando a realidade de uma cidade onde a justiça é posta em prática sempre com as próprias mãos - ou próprias navalhas, facas, cordas, armas de fogo etc. Em Sin City, todos têm seus pecados e sabem disso, que por trás de cada cidadão há uma mancha. O caos obscuro do local se torna um recurso para esconder atos controversos, mas o leitor sabe de tudo: a violência e a luxúria são expostas explicitamente nas páginas dessa série de HQ, sem medir o nível de repugnância.

Dredd

O longa metragem de 2012 foi o favoritos dos fãs em comparação com o de 1995.
Nesta obra acompanhamos as aventuras do Juiz Dredd pela violenta metrópole de "Mega-City 1". Repleto de elementos de ficção científica, como aliens, humanos com poderes psíquicos e pós-apocalipse, o gibi não economiza em misturar isso com humor negro e muito futurismo.

O Justiceiro

O vigilante de Nova York é movido para Flórida em seu filme.
Esse não é difícil de reconhecer, afinal este é um dos anti-heróis mais populares da Marvel. O ex-policial vingativo já ganhou adaptação para os cinemas duas vezes. Em nenhuma delas alcançou a grande bilheteria como Deadpool, mas fez jus à proposta de "concretizar" a imagem de Frank Castle em carne e osso. O que pode deixar a desejar é que, enquanto o Justiceiro das revistas atira primeiro e pergunta depois, sua versão nas telonas opta por fazer joguinhos psicológicos que não correspondem ao que se espera dele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário